domingo, 2 de outubro de 2016

Eleições 2016, sob o Golpe: ascensão da Direita, ou a Esquerda batendo cabeças?

Olhem só a conta que meu colega Alberto Handfas, da Unifesp faz hoje, neste dia feliz em que São Paulo elege a biruta de gasolina João Dória para prefeito:

"A direita em Sao Paulo não cresceu muito não. Foi a esquerda que perdeu muito voto (não pra direita, mas aos brancos/nulos/abstenções).
A base social histórica do PT e da esquerda em geral não "virou de direita". Uma boa parte dela está confusa tanto pela massacre anti-petista da mídia/Justiça golpista; quanto pelos erros do nosso lado (ajuste Levy, ilusões/adaptação ao institucionalismo e concessões programáticas nos últimos 13 anos bem como pelo divisionismo/sectarismo da ultra-esquerda) e acabou não votando em ninguém.
Comparando os 1os turnos de 2008, 2012 e 2016:
Direita (4 principais candidatos) teve: 4,9 milhões (2008); 3,8 milhões (2012); 4,6 milhões (2016)
Esquerda (PT e PSOL juntos) teve: 2,1 milhões (2008); 1,8 milhões (2012); 967 mil (2016)
Brancos+Nulos+Abstenções: 1,6 milhões (2008); 2,5 milhões (2012); 3,1 milhões (2016)
Ou seja a direita caiu um pouco de 2008 a 2016. A esquerda perdeu muito (metade dos votos = mais de 1 milhão) de 2008 a 2016; Os bcos/nul/abst. cresceram muito (dobraram = mais de 1 milhão)"

Isso é o que eu chamo de uma leitura embasada da conjuntura. 

Nenhum comentário: